Pela foto vc imagina que montamos no pier certo??? errado, foi na água!!!

Umas das vantagens de ter um mestre da produção como o Irineu Rocha são os desafios que ele nos propõe, desta vez foi no meu primeiro projeto Verão de Hollywood 1998/1999.

A Parede de Alpinismo havia sido escolhida pela Souza Cruz como a plataforma dos eventos para este verão, devido a alguns fatores como: o inusitado da estrutura, a sua grande visibilidade, e o atrativo ao público… entre outros.

Mas as tarefas não eram muito fáceis, e o argumento era sempre o mesmo
“No Limits” e os desafios foram aceitos e vencidos.

No verão de 1998/1999 após os eventos nos dois “Planeta Atlântida”, em Capão da Canoa e Jurerê Internacional, que contarei em outro post, o desafio era montar a Parede em duas ilhas em Angra dos Reis.

Eram festas fechadas, patrocinadas pela companhia, várias delas estavam em nossa agenda, só em Angra faríamos duas, uma na Ilha do Arroz e outra na Ilha Mandala.

O primeiro desafio seria levar 6,5 toneladas de equipamentos do continente para a ilha, a solução foi locar várias traineiras, e fazer a viagem.

Toda a logística teria que ser bem planejada, pois como a ilha só “funcionava” para festas não existia estrutura, apenas mobiliário de bar e pista de danças.

Desta forma planejei uma logística de expedição levando desde água potável para consumo e banho, alimentos, tendas, ferramentas, geradores, remédios e back ups diversos.

Tudo teria que vir do continente, além da distância e da dificuldade do trajeto, sinal de celular nem pensar, as traineiras voltariam para o continente, e só uma delas voltaria no dia seguinte para o plantão durante a montagem.



O próximo desafio seria montar um deck para a cenografia da tenda e a Parede de Alpinismo, porém abortamos ideia do deck, como tínhamos o timming apertado pois a maré baixa não permitia a montagem da base para as duas estruturas, decidimos que somente a Parede seria montada.

O primeiro obstáculo desta fase a ser superado foi… como calçar a base da estrutura tubular? já que a montagem seria na areia, e quando a maré sobe os calços saem.

Tentamos sapatas de aço, madeira, troncos, alavancas e nada dava resultado, a maré ou afundava os calços ou simplesmente os deslocava não permitindo a subida da estrutura.

Após passar algumas madrugadas sentado na água observando e testando diversas alternativas consegui encontrar a solução… e por incrível que pareça veio da própria natureza. Mas este segredo guardo a sete chaves rs.


Após montada a base a estrutura subiu rápido, ancoragens feitas no deck garantiram a estabilidade da Parede com a subida da maré, o revestimento e madeiramento precisavam ser cuidadosos por causa das furadeiras e parafusadeiras elétricas, além do fator água que complicava a segurança.

Tudo deu certo com a parede montada e segura partimos para a programação visual.


No sábado o evento rolou como planejado, muitas escaladas, missão cumprida, cliente satisfeito vamos a próxima Ilha





Gostou deste artigo? Curta, compartilhe, siga ou deixe comentários