Invernos atrás quando eu era Diretor de Produção de uma agência em SP, vencemos um leilão reverso para fazer a inauguração de uma antena da Vivo numa cidade que se chama Lagoa do carro, e fica na zona da mata norte de Pernambuco.

De acordo com a população, o nome da cidade tem origem na história de um carro de bois que teria caído em suas águas, dando nome ao vilarejo.
Na época do leilão, não se imaginava que o Presidente da Vivo, recém-empossado fosse pessoalmente fazer a inauguração, a verba e o escopo do job eram bem simples.

Somente algumas faixas pela cidade, fogos, o coral e pronto, mas…

Com a presença confirmada do Presidente tudo mudou, precisaríamos de uma tenda gigante, show de música, distribuição de comes e bebes decoração, promotores etc.

Tudo muito normal, se eu não tivesse sido avisado no mesmo dia do evento, em produção isso é normal.
Somos avisados às vezes de ultima hora, e é literalmente um “Se vira nos trinta” quem nunca?
Eu recebi a notícia por volta de 11:00 com a missão de produzir tudo para o final da tarde.

Fiz uma pesquisa rápida para saber com o que poderia contar trazer do Recife não era opção viável, teria que me virar com o que eu tinha local, e as opções não eram muito animadoras, chamei alguns fornecedores e ao chegar à praça todos já estavam me aguardando.

Eram eles um DJ, o dono da maior padaria da cidade, o dono da “gráfica” um decorador de festa infantil, e um marceneiro, além de vários ajudantes.
Rapidamente expus a eles o que precisava, e como queria fazer a coisa, eles me devolveram com as suas limitações pelo tempo e verba e vamos nos acertando.

A minha maior vantagem neste job foi à alegria deles em montar um evento deste porte, mesmo que encima da hora.
Uma hora depois já estavam alinhando madeiras para o piso para só depois subirmos as duas tendas 10 x 10 que serviriam para colocar embaixo tudo o que precisava: Palco, P.A., cadeiras, mesas para os convidados e do Buffet etc.

Como usavam pouco as tendas na cidade, a armação estava enferrujada, enquanto o piso era construído mandei pintar, e o sol do Nordeste era meu aliado na função de secagem.

A montagem do piso foi artesanal, como não era a expertise do marceneiro que eu contratei tive que demonstrar na prática o que eu queria nada demais botar a mão na massa, os maiores segredos de um piso estão na composição da armação, e na espessura do compensado, no mais, foi muito prego e marteladas.

O DJ chegou com toda a parafernália que ele usualmente toca em bailes da região, após terminar a montagem do piso e da tenda, ele começou a espalhar as caixas para dar um som limpo e uniforme, este foi o meu briefing e ele, afinamos o som e as luzes que ele tinha e definimos o set list, microfones posicionados e fui recepcionar os sanduiches encomendados na padaria, eram sanduiches de metro, muito refrigerante, salgadinhos e copos de plástico, as balconistas seriam as garçonetes.

Para finalizar, alguns balões e tecidos espalhados pela tenda para dar um clima festivo, estava parecendo uma daquelas convenções presidenciais americanas, mas foi tudo muito bem elaborado pelo decorador, os banners feitos pela gráfica local foram enquadrados nas treliças de Box e espalhados pelo local, tudo perfeitamente disposto.

Com a chegada da banda musical, fizemos um ensaio geral já com as cerimonialistas que haviam chegado mais cedo e trouxeram as recepcionistas, passagem de som, e começaram a chegar os convidados. Tudo muito em cima da hora.

Foi uma produção bem “artesanal” para mim a felicidade de conseguir entregar um evento naquelas condições, de ultima hora, para os parceiros/fornecedores uma experiência e tanto, afinal estavam presente o Presidente da Vivo, o Vice-Governador e a Prefeita de Lagoa do carro. Experiência para guardarem para resto da vida profissional.
Produção de eventos é isso, fazer de um limão uma limonada… Ou uma caipirinha!