Caros amigos de eventos, o produtor é um gestor de pessoas e acima de tudo sentimentos.

Eu falo de gerir parceiros e que por sua vez colocam seus funcionários e freelas para “construir” o meu job.

Eu sou muito romântico em relação a isso, aprendi muito cedo que nada deixa uma pessoa mais feliz quando você o “bacana” do job sabe o seu nome, te deseja um bom dia, um bom descanso quando vai embora após um árduo dia de montagem.

Você faz isso? Eu faço desde meu primeiro job!

Isso nem é estratégia é a minha educação. Aprendi muito cedo que devemos tratar as pessoas como tratamos a nossa família, por que afinal, não existe diferença.

Eu digo a todos que trabalham comigo que um produtor deve saber fazer o que está pedindo que os outros façam.

Veja bem pedir, eu nunca mando, eu peço! Sempre com serenidade e um sorriso no rosto, as portas se abrem com esta atitude.

Eu já sentei na calçada no meio de uma montagem complicada com os montadores tomando “rabo de galo” numa zona portuária em Paranaguá.

Chamaram-me de patrãozinho quando subi em andaimes para ajudar a pegar uma peça e colocar no lugar como eu precisava, ajudei a descarregar caminhão e como uma “quentinha” junto com todos, e se precisar recolho a mesa.

Humildade e humanidade sempre foram e serão as minhas maiores preocupações.

Entristece-me quem entra na área sem isso. Sem estes atributos não existe gestão.