Caros amigos de eventos,

Anos atrás, eu produzi para o Txai Resort- Itacaré, o seu réveillon.
Altíssimo nível.

Na VT descobri que não era tarefa fácil, o evento seria realizado numa “cabana” locada, (um bar com estrutura rústica na praia), assim não incomodaria os hóspedes do Resort que não fossem participar.

Com muitos detalhes a serem cuidados pela produção, e para facilitar a minha vida contratei a brigada da cabana (garçons, auxiliares, faxineiras) já que eles conheciam toda a estrutura. E a cozinha ficaria á cargo do Cheff do Resort.

Misturar equipes tão distintas não me agrada, mas era a única maneira de viabilizar uma cozinha internacional para o evento, exigência do cliente.

Mas de nada adiantaria uma cozinha internacional, se o nível dos serviços não a acompanharem. Eu precisaria dar um gás na equipe local.

Na reunião de integração as diferenças eram evidentes, como tentar misturar água e óleo.

Fazer um cheff Francês se dar bem em tão pouco tempo com garçons do interior da Bahia não foi tarefa fácil, volta e meio me chamavam para fazer o meio de campo também nesta área e passei a ser o interlocutor entre os dois lados, baixando a bola de uns e subindo a de outros. Show must go on!

Produzir também é saber gerenciar crises e moderar conflitos.