Caros amigos de eventos, imagine a seguinte situação, você será o produtor de uma pequena parte de um megaevento em París.


Será o responsável por toda a logística e eventos offsite da equipe Brasileira composta por 40 participantes, jovens e poucos com mais de 20 anos, que saíram do Brasil desacompanhados dos pais, atrás de uma premiação mundial em um evento ainda maior chamado Imagine Cup.

Bem, o Imagine Cup da Microsoft, é uma competição anual patrocinada e hospedada pela Microsoft Corporation, que reúne jovens tecnólogos de todo o mundo para ajudar a resolver alguns dos desafios mais difíceis do planeta.

É considerada as “Olimpíadas de Tecnologia” por jovens tecnólogos e é uma das principais competições relacionados ao design de software.

Ou seja, eu tinha apenas “gênios” embaixo das minhas asas. Tenso? Não.

Aterrorizante!


Foi um daqueles Jobs que caem aos 44 minutos do segundo tempo na agência, na época eu era o Head de produção, foi um briefing até meio despretensioso a princípio e que começou a tomar corpo com a possibilidade de visibilidade de uma marca até então só conhecida no Brasil e América Latina, um grande Banco!

Faltando um mês para o evento, fui chamado pela gerente de marketing e pelo gerente de produto e praticamente intimado a cuidar do job pessoalmente em París, já que a minha equipe era júnior e a marca exigia a partir daquele momento um time sênior.

Afinal, o escopo do projeto mudara radicalmente e sim, eu trabalho sempre com Juniors! É minha opção, eu prefiro ensinar quem quer aprender a discutir com quem pensa que sabe tudo.

Ninguém sabe tudo! Muito menos eu.


Ok! Tranquilizei a cliente garantindo que a partir deste momento cuidaria do seu projeto pessoalmente e assim o fiz, porém eu tinha um probleminha a ser resolvido…

Meu passaporte estava vencido, eu tive alguns probleminhas no Chile quando escalava, ah é fácil resolver certo?

Errado!

Imagine aquelas épocas em que até papel faltava para a PF, nem faz tanto tempo assim e o prazo que me deram era de 30 dias pelas vias normais.

OK!

Respirei o mais fundo que posso e apostei nas vias normais, se atrasar um dia, a minha casa cai!

Aliás depois conto a história do “Respira, respira, respira” e a do Chile… Acho!
Passagens compradas, pré-produção tinindo e a equipe brifada, basicamente eu deveria encontrar nossas produtoras locais Marcella Ewerton e Camila Casemiro no Aeroporto Charles de Gaule que seriam, e foram sensacionalmente minhas amigas e nossas hostess na França.
Sexta feira, 18:00 recebo a ligação do porteiro.

– Chegou uma encomenda pro senhor!
Pego o elevador com o coração na boca, chego esbaforido na recepção, abro o envelope… era o meu passaporte.

O meu voo era na segunda as 23:00… Respirei fundo e só então comecei a fazer as malas.


Este case não está no meu primeiro livro, mas estará no segundo, leia muitos outros neste link: