Caros amigos de eventos, mais um palco que cai, e desta vez num evento infantil em Belém, relendo os comentários para saber mais detalhes um deles me chamou a atenção: “De quem foi a ideia disso? Uma estrutura dessa para um show começar no horário que sempre chove, em pleno inverno amazônico”. As chuvas e os dias nublados nesse período são característicos do Inverno Amazônico, que ocorre entre dezembro e maio em estados do Norte, isso é fato e todo produtor sabe disso, ou pelo menos deveria. Assim como os ventos em Torres no Rio Grande do sul por exemplo. Sempre que tenho um evento ao ar livre a consulta pelos boletins meteorológicos é quase uma obsessão, a natureza é implacável e muitas tragédias podem ser evitadas, pesquisar todos os aspectos que norteiam um evento é obrigação do produtor. Daí a pergunta, quem produziu não se atentou a este detalhe? Na nossa área “o diabo mora nos detalhes”, já diz o provérbio alemão. Na semana passada presenciamos a queda da barreira na CCXP e agora isso. Segurança não é um detalhe e deve ser tratada como primordial, principalmente com crianças envolvidas. Eu já cancelei uma ação em Minas Gerais pelo mesmo motivo, quase apanhei da torcida, mas pelo menos dormi com a consciência tranquila. Consciência, isso é que falta ao mercado!!!