London 2012
Caros amigos de eventos, sabe quando você tem que defender o cliente dele mesmo?

Eu sempre digo que quando o produtor recebe o briefing o Job, este deixa de ser do cliente e passa a ser seu.

Cada dia mais os clientes têm menos tempo para prestar atenção à planta, ler o manual do expositor então nem se fala, e para proteger o seu trabalho o produtor precisa defender tudo o que lhe foi passado em briefing e que deve constar da planta e do manual.

Quando o Job está nas mãos do produtor, normalmente o cliente relaxa e pensa quase que exclusivamente no conteúdo das apresentações, ele conversa mais internamente com as  pessoas responsáveis por convidados, lista Vip, quem senta com quem e que não pode em hipótese alguma sentar próximo a alguém, sim meus caros isso existe e com frequência.

O cliente só tem olhos para a direção artística e passa noites em claro criando a sua apresentação, tipo de letra, fotos dos produtos, entonação, dados internos, sell-in e sell-out, força de vendas, enfim…

Em seu subconsciente reza para que o produtor não mande nenhum e-mail querendo falar sobre a construção do Job, já que na cabeça dele ele já te passou tudo do Job.

Neste momento meu caro produtor, arme-se com suas anotações, defenda seu Job e mantenha suas cartas na manga.

Afinal, vai que…