Caros amigos de eventos, o pior sintoma do COVID-19 é a cegueira seletiva do “poder” público.

Temos em Santa Catarina um parque fabril que produziria bilhões de máscaras de proteção para a população desde dezembro.

Em São José dos Campos além de outros lugares espalhados pelo país existem vastos parques tecnológicos como poucos no planeta. Fabricar respiradores, termômetros e equipamentos usando tecnologia reversa e quebrando patentes são normais em tempos de guerra e poderiam ter abastecido o Continente.
Alguns governadores criaram seu próprio lockdown, sem o mínimo de planejamento e simplesmente decretaram um toque de recolher, isolaram a população do trabalho, dos seus alimentos e da sua sobrevivência.

Quando o Doria foi eleito e começou a apagar os grafites, remover usuários de drogas mandei um e-mail me colocando à disposição “pró-bono”, para planejar ações e evitar que tantos erros fossem efetivados. Mas fui solenemente ignorado!

O meu ponto é…

O mercado de eventos é infinitamente mais competente que qualquer colaborador que esteja em cargo eletivo, simplesmente pelo fato de que somos realmente profissionais, fomos criados e nos especializamos em trabalhar com soluções e budget definidos. Vivemos o inesperado.

O nível de amadorismo que tratam esta pandemia é assustador