Caros amigos de eventos, reiniciando os trabalhos 107 dias depois. Nunca em 29 anos de carreira havia ficado tanto tempo sem trabalhar. Foram dias difíceis e de incerteza, mas o que muito me preocupa é o que está por vir.

O governo de São Paulo começa a multar quem não estiver usando corretamente a máscara, os estabelecimentos também serão multados, medida positiva, brasileiro só aprende quando dói no bolso, mas aí é que vem uma preocupação.

Máscara á não é um item básico e sim gênero de primeira necessidade, e que usaremos por muitos meses ainda graças a nossa incapacidade em fazer a coisa certa desde o início.

Nosso mercado é complexo, todas as camadas da população trabalham em eventos desde a blogueira que dá festas de aniversário e reúne dezenas de amigos em plena pandemia, até a humilde senhorinha que vai a 25 de março lotada para comprar máscaras, roupas, uniformes materiais de limpeza e diversos outros insumos.

O que me preocupa é a ignorância; ignorar a situação e a profilaxia pode transformar seu pós evento num caos.

Mas voltemos ao ponto de partida, o Segur3 agora além de ignifugação exigirá desinfecção do espaço? Quem paga esta conta? A agência, o espaço ou o cliente?

Quem fiscaliza? Quem cheka? Os mesmos fiscais que multarão nas ruas quem não usa máscara?

Ou para variar apertaram a tecla…