Caros amigos de #eventos, como anda a sua comunicação em tempos de vírus? Recebi um briefing pelo whatsaap para um evento.

Como eu já conheço o cliente, a comunicação está sendo feita por email, whats, Skype etc. e ainda não foi necessária uma reunião de alinhamento, o que é muito importante e acontecerá em algumas semanas, antes da montagem, pois é assim que nós profissionais Old School gostamos, olhos nos olhos, pois é neste encontro que podemos sentir o cliente e suas expectativas quanto ao evento.

Feeling!

Com o distanciamento fica cada vez mais difícil visitar os fornecedores e parceiros, é preciso acreditar no profissionalismo destas empresas, existem maneiras e ferramentas para entender como a empresa trabalha, onde trabalha e até se ainda existem.

Na nossa área trabalhamos muito com o subjetivo, com a comunicação não verbal por exemplo, que é quando alguém está narrando uma história (linguagem verbal) e inconscientemente executa movimentos corporais, faciais e variações sonoras que ajudam a transmitir não apenas as informações da narrativa, mas também as emoções e sensações.

Um evento é puro sentimento e sensação, mesmo que subliminar é subentendido nas entrelinhas ou se faz por associação de ideias.

Este sentimento não se passa pelo whatss!