Caros amigos de #eventos, olhando este ensaio da OSESP, me deu um mix de felicidade e tristeza. Eu que não gosto de botar lenha na fogueira, durante a pandemia fui obrigado a rever meus conceitos.

Após 29 anos em eventos, hoje fico perplexo em como demoramos para engatinhar o retorno da área.
Penso, qual seria a diferença desta formação da OSESP e a de um evento que fazíamos diariamente em nosso mercado?

Não me parece que estes músicos estão a mais de quatro metros quadrados uns dos outros conforme “manda” o Diário Oficial da cidade.

Será que o ar-condicionado desta sala foi adaptado aos novos padrões de saúde? É possível, mesmo sabendo que eles têm restrições orçamentárias e cultura não é uma das prioridades dos governantes atuais.

Porém repare que quem pode está usando máscara, quem toca instrumento de sopro tem uma barreira de acrílico em sua frente.

Mas, estas e muitas outras prevenções nós produtores também faríamos com certeza já que o nosso budget e a nossa motivação não são públicos e sim privados na sua maioria.

Porém, a questão que herdamos é que os clientes já derreteram a verba anual de marketing tentando sobreviver, quem conseguiu está de pé.

Mas, quando se animarão a voltar a patrocinar uma feira, congresso ou convenção novamente???

#production #producer

Foto: OSESP