Caros amigos de #eventos, como diria um ministro do STF “tempos difíceis”, mas, quando é que foi fácil para nós? Quando temos verba, não temos prazo, se temos prazo e verba não temos o local e quando afinamos tudo alguém muda o enredo.

Faz parte do jogo, o mundo entrou em mode pause, a nossa área em mode Jumanji!

Cada passo é uma surpresa, um desafio, um abismo ou até o vácuo do espaço que aliás é onde estamos agora.

No projeto verão de 01, após uma temporada nos Planetas Atlântida de Capão da Canoa-RS e Jurerê-SC, partimos sem dormir para o Guarujá-SP, o planejamento era fazermos várias festas na boate Phoenix do Hotel Casagrande na praia da Enseada.

O projeto era montar toda a nossa Arena em frente a boate, durante o dia faríamos as ações de experiencie games, parede de alpinismo, tendas cenográficas como atrativo para o público para as festas da noite.

A ação duraria duas semanas e depois partiríamos para fechar o verão em Porto Seguro-BA.

Mas, esqueceram de combinar com os russos!

Uma ação de última hora dos moradores da cidade nos impediu de montar a estrutura na faixa de areia e como as festas eram de outro time de produção ficamos quase duas semanas no hotel impedidos de agir.

Controlar o staff no job é fácil, sem ele…

Leia mais cases no livro: Produção no limits http://twixar.me/qPXm

Ouça no podcast Foco em produção https://lnkd.in/eg5n_3N